Enviando sua mensagem...

Arquivo anexado

Últimas notícias

3 dicas fundamentais para controlar a ferrugem asiática na soja

Compartilhe:

Ferrugem asiática na Soja

Em 2020, somente no período de um mês, os casos de ferrugem asiática mais do que dobraram no Brasil, passando de 61 casos em janeiro, para 139 em fevereiro, de acordo com informações do site  Canal Rural. Considerada como uma das principais doenças da soja atualmente, a condição é causada por um fungo chamado Phakopsora Pachyrhizi. Bastante comum na cultura do grão, pode ser responsável por perdas de rendimento nas plantações. 


A ferrugem da soja está presente no Brasil desde 2000, após este período, vem se espalhando rapidamente a cada nova safra. A região do cerrado é a que mais tem sofrido com a doença, muito pela condição climática, já que o Phakopsora Pachyrhizi se prolifera melhor com longos períodos de alta umidade e temperaturas entre 18 a 28°C. Nessas condições, a perda de produtividade pode chegar até 90% em casos mais graves.


Como identificar os sintomas da ferrugem asiática da soja?

Algumas características podem ajudar você a identificar a presença da ferrugem asiática na sua cultura. 


Ao contrário do que ocorre com outras plantas, na soja, o fungo apresenta esporos em tons mais claros, o que pode desfavorecer sua identificação nas etapas iniciais. Porém, com o passar do tempo, é possível observar folhas com alguns pequenos pontos em coloração mais escura que o normal, variando entre verde e cinza.


Quando as folhas apresentam tons amarelados, significa que a ferrugem já está na lavoura há mais de 30 dias. Isso dificulta muito o controle químico e a chance de causar prejuízos é alta.


É fundamental que se faça o acompanhamento regular da lavoura. Monitore a sua cultura periodicamente, assim, a ferrugem asiática, caso surja, será controlável e os danos serão menores.


3 dicas para controlar a ferrugem asiática na soja


Infelizmente, erradicar a ferrugem asiática na cultura da soja é praticamente impossível. O foco deve ser no controle, para que a doença não atinja tanta incidência, diminuindo as perdas na produção. Assim, existem algumas técnicas auxiliam no controle dos fungos.


Você, produtor precisa estar preparado para realizar a pulverização de defensivos quando necessário e fazer um bom monitoramento da cultura, não só quando a doença surge, mas também como ação preventiva.


Fique atento às estas dicas:


1 - Monitoramento da sua cultura e monitoramento de focos da ferrugem asiática na região


O monitoramento constante é importante em qualquer ocasião, só assim é possível ter um panorama constante sobre a situação da sua cultura.


Para conferir o estado sua lavoura fique atento às folhas na parte superior, observando se há pontos escuros. É possível também usar uma lupa para observar a parte inferior, verificando se existe a presença de saliências, chamadas de urédias.


Fazendo essas pequenas verificações, é possível perceber cedo se sua lavoura está doente, podendo controlar o quanto antes para evitar maiores danos.


Caso queira ajuda para realizar o diagnóstico, procure uma clínica fitopatológica ou um engenheiro agrônomo.


2 - Controle químico de qualidade

Realizar o controle com o auxílio de fungicidas pode ser uma maneira de prevenir ou remediar (quando em estágios iniciais) o aparecimento dos fungos. Daí a importância o monitoramento da lavoura.


Conte com defensivos de qualidade e por revendedores responsáveis, com a indicação correta para controlar a ferrugem da soja. A boa escolha do fungicida pode ser determinante para o sucesso de sua safra.


É importante ressaltar que, mesmo que um produto apresente ótima eficiência no controle da doença, é crucial utilizar de maneira correta, evitando realizar diversas pulverizações consecutivas com o mesmo defensivo, já que isto pode induzir o fungo a desenvolver resistência ao produto, gerando problemas futuros. Siga corretamente as instruções de uso ou conte com um consultor técnico. 


3 - Integração de várias técnicas de manejo

Quando se toca no assunto controle de doenças na soja, uma das primeiras ideias de manejo acaba sendo o controle químico. E, realmente, utilizar fungicidas é uma das técnicas de manejo mais comuns e de resultado mais visível a curto prazo, mas não é a única.


É importante utilizar o maior número de manejos possível em sua lavoura, assim, você evita que os fungos se tornem resistentes a uma determinada solução.


Técnicas de manejo que podem ser usadas de forma conjunta:

  • Vazio sanitário

O vazio sanitário é um período de 60 a 90 dias onde não há o plantio de soja ou plantas voluntárias no campo. Com este período de descanso, sem soja no campo, a sobrevivência do fungo é reduzida, já que a doença sobrevive apenas em plantas vivas.

  • Calendarização da semeadura

Semear a soja no início da época recomendada é uma das táticas para se ver livre da doença. O objetivo aqui é diminuir a necessidade de aplicar fungicidas com tanta frequência, diminuindo a resistência do fungo aos componentes químicos.

Agrofel

Há mais de 42 anos no Rio Grande do Sul ao lado do agricultor do plantio a colheita com soluções integradas para a busca de altas produtividades.

Atendimento

Central de Atendimento

Fone: 55 51 3326-5000
Atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.
Matriz: Avenida Bagé, 1430 | Bairro Petrópolis | Porto Alegre | RS | CEP: 90460-080

Associados

Canais de Denúncias